O Papai Noel foi criado pela Coca Cola? Tem direitos autorais?

O símbolo mais conhecido do Natal, com aquela roupa vermelha, barrigão e barba branca é uma propaganda subliminar da gigante imperialista e gera royalties pra eles? Será?

Papai Noel como personagem faz parte da tradição cristã ocidental desde antes de 1773, quando o nome “Papai Noel” apareceu pela primeira vez na imprensa. No entanto, seus retratos têm variado enormemente ao longo dos anos.

No entanto, nas décadas de 1920 e 1930, o Papai Noel começou a aparecer regularmente em anúncios da Coca Cola , anúncios em sua maioria criados pelo artista Haddon Sundblom, que usava seu vizinho como modelo.

Esses anúncios são frequentemente creditados por solidificar como os Estados Unidos em particular vêem o Papai Noel, mais notavelmente sua roupa vermelha, mas também sua barba e “fofura”.

No entanto, a visão do Papai Noel por Sundblom não foi original. Ele se inspirou no poema de 1823 A Visit from St. Nicholas , que é mais comumente conhecido como The Night Before Christmas . 

Esse poema é de domínio público e descreve um Papai Noel alegre e acima do peso em um terno vermelho.

Embora a Coca-Cola tenha desempenhado um papel importante ao popularizar essa versão do Papai Noel, ela não a inventou e não tem direitos sobre ela, apesar disso, “surfa” no mito que circula pela internet e isso já está incomodando muita gente, como o pessoal da rival da Coca-Cola, White Rock, eles não estão felizes que a Coca esteja reivindicando a responsabilidade pelo Papai Noel “tradicional” em sua propaganda, então agora está checando com sua própria contra-publicidade.

Os anúncios de White Rock de meados de 1920 apresentavam papais noéis alegres e de bochechas rosadas em trajes vermelhos.

A White Rock Collector’s Association postou vários anúncios do “Papai Noel” da White Rock em http://www.whiterocking.org/santa.html, incluindo um anúncio de 1915 na Collier’s e vários dos anos 1920, na Revista Life.

*Com informações de plagiarismtoday.com, brewminate.com e Wikipedia.com